História de cerâmica

Algo tão presente no dia-a-dia da decoração e que muitos não se dão conta de como e onde surgiu, é a cerâmica.

Resolvemos então, fazer este post com a história da cerâmica.

Na época do período neolítico, onde o homem pré-histórico já fazia cestas de vime com barro, como matéria-prima a “argila queimada”.  A cerâmica é o material artificial mais antigo gerado pelo homem. Ela é composta por um óxido metálico, boreto, carbeto, nitreto ou uma mistura que pode incluir aniões. Por moldagem, secagem e cozimento (ou queima) de argilas.

 

Já a argila é formada de minerais, como silicatos hidratados de alumínio, ferro e magnésio, com certa porcentagem de álcalis e de alcalinos terrosos. Juntos a esses elementos encontram-se a sílica, a alumina, a mica, o ferro, o cálcio, o magnésio, matéria orgânica, etc. As quais tem a propriedade de formarem com a água, uma pasta que pode ser moldada, secada e endurecida sob a ação do calor. Essas misturas são resultantes da desagregação do feldspato.

 

Técnicas da cerâmica

 

É uma atividade de produção de peças a partir da argila, que se voltam muito às formas e estética, fácil de modelar quando ungida. Depois de exposta à secagem para retirar a maior parte da água, a peça moldada é posta a altas temperaturas (ao redor de 1.000º C), que lhe dão rigor e força por meio de fusão de certos ingredientes da massa e, em alguns casos, fixando os esmaltes na superfície.

 

Essas propriedades permitiram que a cerâmica fosse utilizada na construção de casas, vasilhames para uso doméstico e armazenamento de alimentos, vinhos, óleos, perfumes, na construção de urnas funerárias e até como superfície para escrita.

 

Os tipos de cerâmica são:

 

Cerâmicas tradicionais

  • Terracota: argila cozida no forno, sem ser vidrada, embora, às vezes, pintada.

  • Cerâmica vidrada: o exemplo mais conhecido é o azulejo.

  • Grés: cerâmica vidrada, às vezes pintada, feita de pasta de quartzo, feldspato, argila e areia.

  • Faiança: louça fina obtida de pasta porosa cozida a altas temperaturas, envernizada ou revestida de esmalte sobre o qual se pintam motivos decorativos.

 

Cerâmica artística

 

Com possível exceção do fabrico de tijolos e telhas, geralmente utilizados na construção desde a antiguidade na Mesopotâmia, desde muito cedo a produção cerâmica deu importância fundamental à estética, já que seu produto, na maioria das vezes, destinava-se ao comércio. Talvez por esta razão a maioria das culturas, desde seus albores, acabou por desenvolver estilos próprios que com o passar do tempo consolidavam tendências e evoluíam no aprimoramento artístico, a ponto de se poder situar o estado cultural de uma civilização através do estudo dos artefatos cerâmicos que produzia. Afora a cerâmica para a construção, a cerâmica meramente industrial só ocorreu na Antiguidade em grandes centros comerciais, iniciando vigorosa etapa com a Revolução industrial. Com a utilização da porcelana, a cerâmica alcançou níveis elevados de sofisticação. Um exemplo notório da cerâmica artística em Portugal é a barrista Rosa Ramalho que usou a argila para criar as figuras surrealistas do seu imaginário.

 

Cerâmica industrial

 

A indústria cerâmica é responsável pela fabricação de pisos, azulejos e revestimento de larga aplicação na construção civil, bem como pela fabricação de tijolos, lajes, telhas, entre outros. Ainda, o setor denominado cerâmica tecnológica, é responsável pela fabricação de componentes de alta resistência ao calor e de grande resistência à compressão. Atualmente a cerâmica é objeto de intensa pesquisa tendo em vista o aproveitamento de várias das propriedades físicas e químicas de um grande número de materiais, principalmente a semicondutividade, supercondutividade e comportamento adiabático.

 

Vitrocerâmica

 

É  um material cerâmico obtido por técnicas vidreiras e constituído de microcristais dispersos numa fase vítrea.

 

É obtido submetendo o vidro comum a temperaturas elevadas (de 500°C a 1000 °C ). Este tratamento térmico provoca a sua cristalização. Ao contrário de cerâmicas sintetizadas, não têm poros entre os cristais.

 

O termo vitrocerâmica refere-se essencialmente a uma combinação de vidro com lítio, silício, alumínio e óxidos que produz uma variedade de materiais com interessantes propriedades termomecânicas.

Materiais vitrocerâmicos possuem maior resistência (não sendo, porém, totalmente inquebráveis) que os vidros comuns, uma baixa condutividade elétrica e quase nenhuma dilatação térmica. Ao mesmo tempo apresenta baixa condutividade térmica e resistência a choque térmico.

Possui algumas aplicações importantes na astronomia (espelhos de telescópios), medicina (ossos e dentes artificiais) e uso doméstico (fogões elétricos). 

 

Cerâmica avançada

 

São materiais de engenharia, obtidos a partir de uma matéria prima mais purificada, que pode ser a mesma que dá origem à cerâmica tradicional, mas está em um estado maior de pureza. Utiliza-se esse tipo de cerâmica, por exemplo, em tijolos refratários para churrasqueiras e alguns fornos.

 

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Cer%C3%A2mica

http://www.anfacer.org.br/historia-ceramica

https://www.eba.ufmg.br/alunos/kurtnavigator/arteartesanato/origem.html

 

Foto da galeria dos produtos.
Foto da galeria dos produtos.
Foto da galeria dos produtos.
Foto da galeria dos produtos.